quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Legalização do Aborto



Quantas mulheres ainda vão precisar morrer em clinicas clandestinas para pararem de julgar? Quantas lagrimas serão derramadas e corpos violados e crianças abandonadas, por que você não entende que o corpo é da mulher?

Não importa se foi por uma noite, se esqueceu o preservativo, odeio aquele melo maldito "só engravida quem quer" e quem não quer também, por isso tantas mães solteiras, tantas crianças nas ruas e tantas mulheres mortas em abortos clandestinos. Se o pai pode abortar por que não a mãe?
Por que ela tem que ser obrigada a gerar uma criança que ela não quer?

Você não manda no meu corpo, não pode fazer as minhas regras.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

50 tons de cinza não é romântico!

Sobre 50 tons de cinza:

50 tons não é romantico. 
50 tons não é sobre BDSM. 
50 tons retrata tudo o que NÃO É BDSM e mostra uma relação extremamente abusiva.
Para quem não sabe, Cinquenta Tons de Cinza foi, inicialmente, uma fanfiction da saga Crepúsculo. O livro fala do relacionamento de uma "recatada moça virgem" que conhece Christian Grey, um empresario milionário que pratica sadomasoquismo e quer que Anastasia seja sua nova submissa. Ela aceita e assina um contrato que estipula, entre outras coisas, quantas horas ela deve dormir por noite, o que pode comer e quantas vezes por semana deve praticar exercício físico. Grey também escolhe sua ginecologista, seu personal trainer, seus seguranças, COMPRA a empresa que a menina trabalha e lhe afasta de todos os seus amigos.
Seria muito bom se fosse um livro que estimulasse os leitores a explorar sua própria sexualidade, ou um livro que desmistificasse os tabus dentro do sadomasoquismo. Mas ao contrario disso, o livro associa o fetiche de Grey por BDSM com os traumas de infância que ele sofreu, como se fosse uma doença que precisa de cura.
A personagem principal, não poderia ser mais cliche. Na verdade ela é uma copia da Bella de Crepúsculo: introvertida, tem baixa autoestima, problemas com o pai... E quando conhece Christian Grey, Anastasia é virgem e nunca se masturbou na vida. Quando inicia a relação com ele, ela não apenas goza milhões de vezes e todas as vezes, como também aceita entrar em uma relação BDSM. Como se isso fosse a coisa mais normal do universo pra quem nem se masturbava antes. Isso faz com que, muitas (muitas) mulheres achem que tem algo de errado com elas.
O relacionamento deles é claramente abusivo: fora o fato de que ele controla até o que ela come e a obriga a tomar anticoncepcional pra que ele não tenha que usar camisinha (?), ele ainda ignora a palavra de segurança, e fica irritado com ela por ela ter dito a safe word. No final do primeiro livro, Anastásia foge pela casa de Grey quando ele ia castigá-la com uns tapas, mas se convence que agiu "errado" com o "dominador" e volta. Ele bate nela com um chicote, e bate mais do que deveria, machuca ela, adorando toda a situação. Ela chora, vai embora, fica brava. Eles voltam (claro!!!). Quando eles se casam, a primeira coisa que ele diz pra ela é "Finalmente você é minha." Quando ela engravida, ele fica puto e some por horas. Entre tantos outros exemplos.. O livro faz com que as mulheres pensem que é normal estar em um relacionamento abusivo. Que é normal se submeter a humilhações e exigências do seu parceiro (e olha que eu to falando "fora" da cama ein). O livro faz com que as mulheres achem que precisam de um homem pra dar um jeito em suas vidas.
Esse livro não é libertador.
Esse livro passa uma ideia errada sobre BDSM.
Esse livro passa uma ideia errada de relacionamentos ideiais.
Christian Grey não é romântico, muito menos "o sonho de toda mulher."
Parem de romantizar a violência.

Texto de Ana Luisa Hickmann

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Nesse Carnaval - Spray de pimenta

 Nesse Carnaval divita-se.
Esqueça as regras sociais, esqueça o sexismo, esqueça a vergonha. Divirta-se.

Se gosta de ficar em casa, fique.
Se gosta de festa e de sair, saia, beba, dance e cante (e grave um vídeo para vermos e darmos risada ). Seja feliz.

Mas cuidado, no Carnaval as chances de uma mulher ser uma vítima são ainda maiores. Infelizmente.
A sociedade deveria aprender a respeitar, mas parece que as coisas estão cada vez piores, então tome cuidado.

E para se proteger separamos uma receita de spray de pimenta caseiro ótima que pode te salvar e ainda dar uma lição em quem merece.

Você vai precisar:
Bicarbonato
Pimentas das mais forte que encontrar
Limão
Vinagre
Cloro
Cebolas

Corte as pimentas e as cebolas bem picadinho.
Amasse as duas em um recipiente.
Adicione o suco de limão, o cloro e o vinagre e misture.
Misture bem e então adicioner o bicarbonato.
Despeje o conteúdo em um frasco spray e sinta-se protegida.

É uma receita básica, o frasco vc pode encontrar em qualquer loja de artesanato.

Sei que não é muito, mas com segurança não se brinca.


quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Sobre o machismo x achismo


Bem,estamos cansados,sim cansadxs de machismo e achismo!
Homens, alguns que não se dobram a essa péssima qualidade, também sofrem com isso, não na mesma proporção que a mulher, mas sofrem.
Bem, se quiser aprender não tenha preguiça de ler este pequeno texto.
Machismo não é uma qualidade exclusiva de homens e muito menos de uma classe dominante.
Machismo também não se delimita apenas em defender que uma mulher "nasceu apenas para procriar" ou que "mulher não pode trabalhar e estudar, ela tem que apenas saber cozinhar e cuidar dos filhos". A maioria acha que o machista é apenas esse que repassa tal pensamento conservador. Não, ser machista engloba isso e vai muito além.
Exemplos:
Mulheres também repassam machismo quando dizem aos filhos: "Homem não chora, engula as lágrimas!", "Meninas têm que se comportar como mocinha", "Veja, aquela biscate dando em cima do namorado da outra!", "Filho meu não vira gay!", "Filha, você tem que ter mais paciência com seu marido, ele vai mudar.", "Filha, mulher tem que saber cozinhar, se não seu marido te larga." e por aí vai o desfiar de machismos que inconscientemente repassamos no dia a dia.
Agora machismo em homens que não são "ogros". Homem que acha natural ACHAR que mulher que faz engenharia é sapatão, quando fazem piadas com a TPM, dizem que a culpa é dos hormônios. Frases: "Nossa,você toma Whisky? Geralmente mulher só toma bebida doce.", "Nossa,calma!" (como se mulheres fossem loucas), "Filha minha é princesinha do papai!" (o filho pode namorar e pegar quantas quiser, transar em casa, beber, ir a prostíbulos, correr, empinar pipa, jogar e se apoderar do game, menina não. Menina não pode transar com o namorado, não pode brincar de bola, não pode usar roupa curta, não pode pegar no controle do game, não pode ir ao Clube de Mulheres...).
O próprio tratamento "filho da puta" sempre remete ao rebaixamento da mulher. Você não vê ninguém falando "filho do puto, filho do caralho".
Dizer que um homem não pode ser vaidoso porque isso demonstra que ele é bicha. 
Reparou também que se um homem por uma eventualidade cuida dos filhos sozinhos, ele é herói? Já quantas mães solteiras, guerreiras cuidam de seus filhos há décadas sozinhas e nunca ganharam o titulo de heroína? Simplesmente porque se acha normal a mulher ter a obrigação de cuidar dos filhos. A mulher que aborta é maldita e o homem que abandona é o que? 
Esses são alguns dos exemplos de machismo que repassamos muitas vezes sem perceber.